venerdì 7 novembre 2008

D-League: Papi Kriki 2-3 Dinamo Cedofeita

Perdidos na dança

Com o apito inicial, a soou igualmente a música. E, com a música, a dança.
Os Papi Kriki, ilustres bailarinos, começaram o jogo numa valsa demasiado lenta, o que entorpeceu os movimentos e espevitou os adversários, mais dinâmicos e endiabrados, numa onda Drum n' Bass. No meio da confusão na pista de dança, o guardião Vimarani começou a sentir que a descoordenação rítmica lhe começava a calcar assustadoramente os pés.
Seguiu-se, entretanto, uma fugaz lambada que teve o condão de adiantar os "azzurri" no marcador, com um bom movimento de Jorgini. Demasiado fugaz. Quando o DJ residente se preparava para abandonar o seu posto, aquilo que se já se ia prevendo aconteceu, recolhendo as equipas às mesas com o resultado em 1-1.
Todavia, o regresso ao salão de baile por parte dos Papi foi incrivelmente frágil, um delicadíssimo ballet, devidamente aproveitado pelos MC's adverásários para se adiantarem no marcador e inclusivamente aumentarem a parada para 1-3. Umas pastilhas de ecstasy nos últimos instantes foram insuficientes para que o techno dos da casa produzisse efeitos, apenas um tiro do meio da rua de Di Montero conseguiu romper a monotonia.
Para a história, fica a lição: a dança das substituições deve ser bem ponderada sob pena de comprometer seriamente o arranjo musical. Não se pode colocar breakdancers a dançar o tango, do mesmo modo que é incomportável alterar a disposição dos artistas sem eles terem sequer tempo de se adaptar às luzes do palco.

Ficha de Jogo:

26 Vimarani
22 Gigi
9 Di Montero (1)
1 Paolo Negro
7 Machi
2 Abilini
4 Bruni
8 Jorgini (1)
10 Huggini
12 Gianni

Amarelos: Paolo Negro (1)
Vermelhos: nada a registar
Assistência: cerca de 30 pessoas

2 commenti:

Tiago(gmr) ha detto...

Só queria deixar aqui duas notas ao post que escrevi sobre este jogo:
- As substituições prejudicaram a equipa não devido aos jogadores que entraram serem melhores ou piores, mas sim por não estarem mais que 2 minutos os mesmos 5 em campo
-Quando eu falo em breakdancers dançarem o tango, refiro-me ao facto de não podermos ter 2/3 jogadores com pendor mais defensivo numa fase em que nos encontramos a perder por dois golos de diferença, do mesmo modo que não faz sentido colocarmos a carne toda no assador quando estamos a ganhar.

Só para que não se gerem mal-entendidos :P

jünger ha detto...

essa do "tiro do meio da rua" desculpa tudo caro amigo! lol